top of page
  • Dra. Tatiane Rodrigues

Averbação ou Registro do Divórcio?

Atualizado: 7 de mar.


(imagem retirada do site canva)

Quando falamos em um divórcio, seja judicial ou extrajudicial, não basta apenas o documento decretando o divórcio, se faz necessário procurar o cartório e fazer a averbação e/ou o registro.


1 Averbação do divórcio

Averbação é um dos atos que os cartórios praticam, que consiste na modificação de algum elemento do assento.


Quando a pessoa se divorcia, não basta ter a sentença do juiz ou a escritura declaratória decretando o divórcio, é preciso que seja feita a averbação do divórcio na certidão de casamento.


Inclusive, o artigo 10 do Código Civil cita a necessidade da respectiva averbação.


Para a averbação do divórcio no Registro Civil, se foi feito na esfera judicial é necessário: o mandado (que deve conter o nome do juiz, a vara, data da sentença, número do processo, data do trânsito em julgado e o nome que adotarão após o divórcio, se for o caso) ou carta de sentença.


Sendo feito extrajudicialmente, para a averbação do divórcio deve ser levado ao cartório competente o traslado da escritura. Lembrando que, o divórcio não precisa ser feito no mesmo cartório em que está registrado o casamento.


É apenas na certidão de casamento que deve ser feita a averbação? Não. Mesmo que não haja partilha, se os divorciados possuírem bens imóveis, deve ser feita a averbação do divórcio na respectiva matrícula.


A averbação é importante para manter as informações atualizadas, principalmente no tocante aos imóveis, evitando, assim, fraudes ou problemas futuros.


2 Registro da partilha

Quando além do divórcio há a partilha de bens, além da averbação do divórcio se faz necessário o registro da partilha nas respectivas matrículas.


Se for feita a partilha judicialmente, para o registro da partilha será necessária a carta de sentença, se foi feita em cartório basta apenas a escritura.


Assento: é onde a informação está, por exemplo, as informações sobre o casamento está no livro de casamento.



Fontes:

BRASIL. Legislativo. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/leis/2002/L10406.htm>. Acesso em: 25 de fevereiro de 2019.


LOUREIRO, Luiz Guilherme. Registros Públicos: Teoria e prática. 9.ª ed. - rev., atual. e ampl. Salvador: Editora Juspodivm, 2018.



Escrito por:



* Respondemos mensagens no WhatsApp, e-mail e Instagram em dias úteis durante o horário comercial (das 9h às 17h). Não respondemos dúvidas que são orientações jurídicas ou que dependem da análise do caso sem a contratação de uma consulta.




Comments


Participe da lista VIP

Aprenda sobre seus direito com nosso time de especialistas TOTALMENTE DE GRAÇA!

Seja bem vindo! 
Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

* Respondemos mensagens no WhatsApp em dias úteis durante o horário comercial (das 8h às 18h).

bottom of page