• Dra. Adriane Felix

Meu filho já tem mais de 24 anos, como parar de pagar a pensão?

Atualizado: Mai 16

Seu filho já concluiu a faculdade? É maior de 24 anos? Você ainda paga pensão e não sabe como deixar de pagar? Essa é uma dúvida de toda a população, geralmente dos pais que são obrigado a arcar com o pagamento da pensão de seu filho. Então este texto é para você saber o que fazer neste caso.




1. Até que idade deve-se pagar pensão?


Os alimentos eles devem ser prestados aos filhos, teoricamente até os 18 anos, onde presume-se que de fato a criança ou adolescente precisa do auxílio alimentar para que sua vida seja preservada.


No entanto, após os 18 anos do filho, o benefício poderá ser prorrogado, caso comprove que ainda necessita do auxílio alimentar, geralmente, até os 24 anos, em caso de estudante em ensino superior, onde se presume que após a conclusão do curso, o mesmo conseguirá se sustentar sem o auxílio dos pais.


Para saber mais sobre este tema acesse o texto “Até que idade se paga pensão alimentícia?”


2. Meu filho tem mais de 24, posso parar de pagar a pensão? O que devo fazer?


Teoricamente, a partir dos 18 anos de idade do filho, já se pode parar de pagar a pensão alimentícia. Ocorre que, em alguns casos o adolescente ainda não consegue se manter sem auxílio, e, a pensão é prorrogada.


No mais, muitos pensam que quando o filho atinge a maioridade civil (18 anos), ou, conclui a faculdade já pode deixar de pagar a pensão automaticamente, e, não é assim que funciona.


Para que de fato deixe de ser obrigado (a) a pagar a pensão alimentícia para os filhos maiores, é necessário ingressar com uma ação de exoneração de pensão, informando o juízo que seu filho não mais precisa que você pague pensão alimentícia.

Assim, o juiz analisa o pedido do alimentante e as condições de se manter do alimentando, e defere ou indefere a exoneração da pensão.


Quando o pedido de exoneração é deferido, a partir daquele momento o alimentante deixa de ser obrigado a pagar pensão alimentícia.


Vale sempre lembrar que a exoneração de pensão alimentícia não é automática, sempre depende de uma Ação de Exoneração de pensão, para que de fato aquele que antes era obrigado a pagar pensão, deixe de ser obrigado legalmente.


Neste sentido, temos a Súmula 358 do STJ:


“Súmula 358 - O cancelamento de pensão alimentícia de filho que atingiu a maioridade está sujeito à decisão judicial, mediante contraditório, ainda que nos próprios autos. (Súmula 358, SEGUNDA SEÇÃO, julgado em 13/08/2008, DJe 08/09/2008, REPDJe 24/09/2008)”.


3. Quais as hipóteses de exonerar a pensão?


Existem algumas formas de conseguir realizar a exoneração da pensão, além da maioridade civil, comprovada que o alimentando não mais precisa dos alimentos para manter seu mínimo subsistência, são as hipóteses previstas no art. 1.708 do Código Civil:


“Art. 1.708. Com o casamento, a união estável ou o concubinato do credor, cessa o dever de prestar alimentos.”

Assim, caso ocorra uma das hipóteses previstas no artigo mencionado, é possível o devedor de alimentos, deixar de ter a obrigação de prestar alimentos, ressaltando sempre que, a exoneração de pensão não é automática, devendo o juízo ser provocado através de ação judicial.




O que você achou do conteúdo? Conseguimos te ajudar a entender melhor o assunto? Deixe seus comentários.


Escrito por:




0 visualização
Participe da lista VIP
Aprenda sobre seus direito com nosso time de especialistas TOTALMENTE DE GRAÇA!
facebook.png
instagram.png
whatsapp.png

(11) 2775-8172

(11) 9.4523-5361

Avenida Mutinga, 1912, sala 11

Vila Pirituba, São Paulo - SP

CEP 05110-00

© 2020 por Rodrigues & Felix Advogados