• Dra. Adriane Felix

Na guarda compartilhada tem que pagar pensão?

Essa é uma dúvida muito comum, e que amedronta principalmente as mamães solos que são frequentemente ameaçadas pelos genitores de seus filhos, os quais pensam que pedir a guarda compartilhada seja sinônimo de não pagar pensão, será que isso é assim que funciona?


(imagem meramente ilustrativa retirada do canva)


É importante frisar que a guarda compartilhada é uma forma de garantir que ambos os pais participem ativamente da criação dos filhos juntos, afinal o relacionamento como casal pode até ter chegado ao fim, mas os direitos e obrigações com os filhos não, esses são para sempre (ou pelo menos deveria ser, né?!?!)


Diferente do que muitos pensam, o a guarda compartilhada não serve para o “papai” deixar de pagar pensão, muito menos para o filho ficar uma semana na casa da mãe e uma semana na casa do pai.


Na guarda compartilhada a criança vai permanecer morando com um dos genitores, geralmente com a mãe que detém a residência fixa da criança, e ao outro caberá o direito de convivência, que seria permanecer finais de semanas alternados, divisão das férias escolares, e, etc.


Além disso, a guarda compartilhada serve como o próprio nome já diz, compartilhar as informações e cuidados com os filhos entre os genitores, assim ambos, decidirão juntos todas as questões que envolverem o filho, seja a escola em que a criança irá estudar, o médico que irá passar, acompanhamento em reuniões escolares, e etc.


No entanto, aquele que não detém a residência fixa do infante, deve sim pagar a pensão da mesma forma, haja vista que aquele que detém a residência fixa da criança também dispõe de valores para criar seu filho.


Mamães/papais solo que possuem a residência fixa de seus filhos depois de lerem esse texto, não se permitam mais serem ameaçadas pelos genitores(as) da criança, pois a guarda compartilhada não exime a responsabilidade de pagar pensão, ela serve para adequar as demais responsabilidades com os filhos que devem ser compartilhadas entre os pais, assim, evita ou diminui a sobrecarga de todas as responsabilidades inerentes ao filho a um só genitor(a).


Se este texto te ajudou, não se esqueça de deixar nos comentários o que achou e de compartilhar com seus amigos isso é muito importante para nós!


E se você ficou com alguma dúvida sobre o assunto, pode entrar em contato por meio do e-mail: contato@rodriguesefelix.adv.br, do WhatsApp que está logo abaixo ou também no meu perfil no Instagram: @adrianefelixadv.


Escrito por:


Leia também:


- Se eu morrer, quem vai cuidar do meu filho (a)?

- Doador de material genético para inseminação artificial caseira pode ter a paternidade reconhecida?

- Deixar testamento evita a necessidade de fazer o inventário?

- Se eu terminar meu namoro tenho que dividir meus bens?

Participe da lista VIP

Aprenda sobre seus direito com nosso time de especialistas TOTALMENTE DE GRAÇA!
arrow&v

Seja bem vindo! 
Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.