top of page
  • Dra. Tatiane Rodrigues

Atraso na entrega do lote

Atualizado: 7 de mar.

(imagem retirada do site canva)


Muito se fala no atraso de entrega da obra no caso de imóvel na planta, mas como fica a situação quando o atraso é da entrega do lote adquirido diretamente com a loteadora?


Hoje vamos tratar sobre quais são os direitos do comprador quando há o atraso na entrega do lote.


1 Qual é o prazo de entrega do lote?

Ao ler o contrato você pode achar que não existe uma estipulação de data limite para a entrega do lote, mas o prazo pode ser estabelecido com cláusula pactuando a data da conclusão das obras de infraestrutura.


Para melhor compreensão, vejamos um exemplo:


O termo final para a execução do projeto é a data de 00/00/0000, sendo certo que nesta data também será protocolado o pedido de emissão do termo de vistoria de obras.

Pode o contrato prever um período de tolerância para a finalização das obras, assim, é prorrogado o prazo de entrega do lote.


Passando o prazo de conclusão das obras de infraestrutura e o período de tolerância, se não houve a entrega do lote estamos diante do atraso de entrega.


2 Quais são os direitos no caso de atraso de entrega do lote?

Não poderá a loteadora alegar o atraso por questões administrativas, já que é um contratempo previsível para eles. Por outro lado, não pode ser tolerado que o adquirente seja prejudicado pelo atraso, mesmo que por questões administrativas, já que isso é um risco assumido pela loteadora e que não poderá ser repassado ao consumidor.


Assim, com o atraso na entrega do lote o adquirente tem os seguintes direitos:


2.1 Aplicação da multa prevista no contrato.

Caso tenha sido estabelecido no contrato alguma multa, poderá o comprador exigir sua aplicação. Assim, solicitará que a loteadora pague a multa contratual pelo atraso na entrega do lote ou por qualquer descumprimento por parte do vendedor.


Se o contrato não estabelecer nenhuma multa para o descumprimento da loteadora, não poderá ser utilizada a multa prevista para o atraso de pagamento para sanar a ausência de multa. É o que diz a Súmula 159 do Tribunal de Justiça de São Paulo:

É incabível a condenação da vendedora ao pagamento de multa ajustada apenas para a hipótese de mora do comprador, afastando-se a aplicação da penalidade por equidade, ainda que descumprido o prazo para a entrega do imóvel objeto do compromisso de venda e compra. Incidência do disposto no artigo 411, do Código Civil

2.2 Indenização pelos lucros cessantes

Os lucros cessantes são utilizados para reparar o prejuízo de não poder usufruir do imóvel, que, em regra, corresponde ao pagamento de 0,5% do valor atualizado do imóvel ou do contrato, por cada mês de atraso.


Inclusive, é um prejuízo presumido, ou seja, independe de prova. Vejamos o que diz a Súmula 162 do Tribunal de Justiça de São Paulo:

Descumprido o prazo para a entrega do imóvel objeto do compromisso de venda e compra, é cabível a condenação da vendedora por lucros cessantes, havendo a presunção de prejuízo do adquirente, independentemente da finalidade do negócio.


2.3 Indenização por danos morais

Sobre os danos morais, vai depender do caso concreto. Portanto, para conseguir os danos morais e até mesmo valores consideráveis, terá que ser analisada a situação em concreto.


Por exemplo, o caso de um comprador que teve que adiar o casamento pelo atraso na entrega é diferente da situação do adquirente que está esperando a entrega para construir o imóvel com o objetivo de investimento. Logo, por serem situações diferentes, poderá ou não haver a condenação no pagamento de danos morais e, ainda, ser estipulado valores diferentes de indenização.


2.4 Solicitar a rescisão do contrato com a devolução dos valores pagos

Se para o comprador é mais interessante solicitar o desfazimento do contrato, poderá pedir a rescisão tendo em vista que houve o descumprimento por parte da empresa. Como estamos diante da ausência de culpa do adquirente, deverá ser devolvido os valores que foram pagos.


2.5 Solicitar o congelamento do saldo devedor

O comprador terá o direito de solicitar que não sejam aplicados os juros remuneratórios enquanto persistir o atraso da entrega. Assim, sobre o saldo devedor, durante o atraso da entrega, é aplicada apenas a correção monetária.


Vejamos o que diz Súmula 163 do Tribunal de Justiça de São Paulo:

O descumprimento do prazo de entrega do imóvel objeto do compromisso de venda e compra não cessa a incidência de correção monetária, mas tão somente dos encargos contratuais sobre o saldo devedor.

2.6 Solicitar que a empresa cumpra com a obrigação de entregar o lote.

Poderá o comprador solicitar que seja determinado que a loteadora cumpra com sua obrigação, ou seja, que realize a entrega do lote.


3 Dúvidas frequentes

a) A ação pode ser proposta no juizado especial? Se o valor do pedido não for superior a 40 (quarenta) salários mínimos, pode a ação ser proposta no juizado especial. A vantagem é que, até a sentença, não existem custas e nem honorários de sucumbências a serem pagos.


b) Pode o processo correr onde mora o adquirente do imóvel? Como estamos diante de uma relação de consumo, pode ser aplicado o artigo 101, I do Código de Defesa do Consumidor, o que permite que a ação seja distribuída no domicílio do comprador.


c) Quando pode entrar com o processo? Dependendo do pedido, o comprador pode ingressar com a ação durante o atraso ou depois de ter recebido o lote.


d) Antes de entregar o lote pode a empresa me cobrar condomínio e IPTU? Não! A cobrança só pode ser feita após a entrega efetiva do lote.


e) E se no contrato não estiver falando de prazo de tolerância? É necessário analisar a matrícula do empreendimento para verificar se foi averbada na matrícula a prorrogação da conclusão das obras. Lembrando que, a lei permite que seja prorrogado pelo prazo máximo de 4 (quatro) anos, mas para isso deve haver a autorização da Prefeitura.


f) Posso pedir a multa contratual e os lucros cessantes? Depende. A justiça vem entendendo que não pode pedir as duas coisas se a multa é estabelecida em valor equivalente ao locativo, assim o comprador tem que optar em pedir a multa ou os lucros cessantes.


Nesse sentido, o STJ, no âmbito dos Recursos Repetitivos 1.498.484/DF e 1.635.428/SC (tema 0970), fixou a seguinte tese:

A cláusula penal moratória tem a finalidade de indenizar pelo adimplemento tardio da obrigação, e, em regra, estabelecida em valor equivalente ao locativo, afasta-se sua cumulação com lucros cessantes.

g) A expedição do habite-se é suficiente para afastar o atraso na entrega? Não. Enquanto o comprador não receber o lote, fica caracterizado o atraso na entrega, mesmo que tenha sido expedido o habite-se. É o que diz a súmula 160 do Tribunal de Justiça de São Paulo:

A expedição do habite-se, quando não coincidir com a imediata disponibilização física do imóvel ao promitente comprador, não afasta a mora contratual atribuída à vendedora

h) O que é súmula? A súmula é a interpretação pacífica sobre determinado assunto, assim, é possível ter uma noção como a justiça está lidando com o assunto.

 

Se este texto te ajudou, não se esqueça de deixar nos comentários o que achou e de compartilhar com seus amigos, isso é muito importante para nós!

E se você ficou com alguma dúvida sobre o assunto, pode entrar em contato por meio do e-mail: contato@rodriguesefelix.adv.br, do WhatsApp que está abaixo ou também no meu perfil no Instagram: @tatiane.adv.



* Respondemos mensagens no WhatsApp, e-mail e Instagram em dias úteis durante o horário comercial (das 9h às 17h). Não respondemos dúvidas que são orientações jurídicas ou que dependem da análise do caso sem a contratação de uma consulta.


Escrito por:


Outros textos que podem ser do seu interesse:

Comments


Participe da lista VIP

Aprenda sobre seus direito com nosso time de especialistas TOTALMENTE DE GRAÇA!

Seja bem vindo! 
Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

* Respondemos mensagens no WhatsApp em dias úteis durante o horário comercial (das 8h às 18h).

bottom of page