top of page
  • Dra. Adriane Felix

Me arrependi da partilha amigável feita no divórcio. Posso pedir a anulação da partilha dos bens?

Atualizado: 8 de mar.

Quando o divórcio é amigável normalmente o casal também está de acordo com a partilha dos bens, então é feito o divórcio e partilha dos bens amigavelmente.


Será que, após o divórcio e partilha se algum dos dois se arrependerem da forma que foi feita a divisão dos bens pode pedir a anulação da partilha? Depende, só o arrependimento não é caso para anulação da partilha.


Para que a anulação da partilha seja possível, deve ser feita dentro do prazo que a lei estipula e que exista algum motivo para ser anulada a partilha.



1 Quais são os motivos que permitem a anulação da partilha de bens no divórcio?

Como já falamos, o mero arrependimento não é caso para pedir a anulação da partilha de bens, deve ser comprovada alguns dos motivos previstos em lei. Vejamos uma decisão que reforça isso:


ANULAÇÃO DE PARTILHA EM DIVÓRCIO CONSENSUAL. Autora que pretende a anulação da partilha alegando a ocorrência de coação e ocultação de bens pelo réu. Sentença de improcedência. Apelo da autora. Ausência de comprovação de vício de consentimento. Descontentamento e arrependimento que não autorizam a anulação do acordo. Ação improcedente. Recurso desprovido. (TJ-SP - AC: 10317033020168260564 SP 1031703-30.2016.8.26.0564, Relator: Mary Grün, Data de Julgamento: 28/11/2019, 7ª Câmara de Direito Privado, Data de Publicação: 28/11/2019)

Os motivos que permitem a anulação da partilha dos bens são:


  • Erro.

  • Dolo.

  • Coação.

  • Estado de perigo.

  • Lesão.


Deste modo, se ficar comprovado no processo que aconteceu alguma dessas situações acima, a partilha poderá ser anulada pelo juiz.


2 Qual o prazo para pedir a anulação da partilha de bens no divórcio?

Como a partilha de bens é vista como um negócio jurídico, o prazo para pedir sua anulação é de quatro anos, conforme estabelece o art. 178 do Código Civil. Vejamos:


Art. 178. É de quatro anos o prazo de decadência para pleitear-se a anulação do negócio jurídico, contado:
I - no caso de coação, do dia em que ela cessar;
II - no de erro, dolo, fraude contra credores, estado de perigo ou lesão, do dia em que se realizou o negócio jurídico;
III - no de atos de incapazes, do dia em que cessar a incapacidade.

 

Se você está com algum problema relacionado com divórcio e partilha de bens, é importante que você contrate um advogado especializado de sua confiança para auxiliá-lo da melhor forma possível, para que seus direitos sejam respeitados e que se possa evitar maiores prejuízos.


Você pode entrar em contato nosso escritório por meio do e-mail: contato@rodriguesefelix.adv.br, do WhatsApp também no perfil do instagram do escritório @rodriguesefelix.



* Respondemos mensagens no WhatsApp, e-mail e Instagram em dias úteis durante o horário comercial (das 9h às 17h). Não respondemos dúvidas que são orientações jurídicas ou que dependem da análise do caso sem a contratação de uma consulta.


Escrito por:


Outros textos que podem ser do seu interesse:


Comentarios


Participe da lista VIP

Aprenda sobre seus direito com nosso time de especialistas TOTALMENTE DE GRAÇA!

Seja bem vindo! 
Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

* Respondemos mensagens no WhatsApp em dias úteis durante o horário comercial (das 8h às 18h).

bottom of page