top of page
  • Dra. Tatiane Rodrigues

Como funciona a compra de um imóvel?

Atualizado: 7 de mar.


(imagem retirada do site canva)


Quando o assunto é a compra de imóvel muitas pessoas não sabem o procedimento que deve ser feito para que seja finalizada a compra, o que faz muitos compradores viverem na ilusão que já são donos do imóvel.


Hoje neste texto vamos falar sobre a parte burocrática que existe na compra de um imóvel.


1 Das formalidades que devem ser observadas

Quando o comprador e o vendedor fecham negócio o mais comum de acontecer é que seja assinado um contrato particular. Normalmente, apesar de ser utilizado o termo compra e venda, estamos falando de uma promessa ou compromisso de compra e venda.


Comprar uma casa não é como comprar pão, é preciso observar algumas formalidades, que são:


a) O contrato de compra e venda deve ser feito por meio da escritura de compra e venda, em regra.


b) Pagamento do ITBI.


c) Registro da compra.



2. Da escritura de compra e venda

Em regra, é obrigatória que a formalização da compra e venda do imóvel seja feita por meio de escritura, vejamos o que diz o Código Civil:


Art. 108. Não dispondo a lei em contrário, a escritura pública é essencial à validade dos negócios jurídicos que visem à constituição, transferência, modificação ou renúncia de direitos reais sobre imóveis de valor superior a trinta vezes o maior salário mínimo vigente no País.

Mas nem sempre a escritura será obrigatória, podendo em algumas exceções a transferência ser feita por meio do contrato particular.


2.1 Quando a escritura não é obrigatória?


Para tornar mais prática a análise da não obrigatoriedade da escritura, montamos um quiz, basta responder as perguntas com sim ou não.


a) O valor do imóvel é inferior a 30 vezes o maior salário mínimo vigente?




b) A compra e venda está sendo realizada pelo Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI)?





c) A compra e venda está sendo realizada no Sistema Federal de Habitação (SFH)?




d) É Termo, contrato ou título emitidos pela União, Estado ou Municípios sobre terra pública rurais?





e) É programa de arrendamento residencial?




f) É compromisso de compra e venda, cessão ou promessa de cessão de lote urbano quitado, cujo a propriedade ainda é da loteadora?




Resultado: Se teve pelo menos uma resposta sim, a escritura não é obrigatória. Se todas suas respostas foram não, a escritura é obrigatória.


2.2 Como é feita a escritura?

Para que seja feita a escritura é necessário procurar um Cartório de Notas, pode ser feito em qualquer um de sua confiança, não precisa ser, necessariamente, o que seja o mais próximo do imóvel.


Não basta ir ao cartório para que a escritura seja lavrada, são necessários alguns documentos do vendedor, comprador e do imóvel. Você pode ver aqui quais são estes documentos.


O valor da escritura é tabelado, que será cobrado de acordo com o valor do imóvel ou o valor da compra, o que for maior (será utilizado como base de cálculo o mesmo valor que for usado para calcular o ITBI).


3. Do Imposto que é devido

Além do valor que foi combinado pela a compra do imóvel, o comprador deverá pagar o ITBI. Mas quanto é o valor deste imposto? Depende, cada município estabelece qual será o valor.


Na cidade de São Paulo são os valores:


  • Se o imóvel for adquirido pelo sistema SFH, no PAR (programa de arrendamento residencial) ou HIS (habitação de interesse social) a alíquota será de 0,5% sobre o valor financiado, no limite de até R$ 91.820,01 (valor correspondente a 2019). Sobre o valor restante que ultrapassar a alíquota será de 2%.


  • Nos demais casos a alíquota é de 3%.


Pode a lei municipal estabelecer a isenção do pagamento do ITBI e a Constituição Federal imunidade.


4. Do Registro

Não basta o comprador assinar a escritura ou o contrato particular e pagar o ITBI para que seja dono do imóvel, é preciso que seja registrada a compra.


Vejamos o que diz o Código Civil:


Art. 1.245. Transfere-se entre vivos a propriedade mediante o registro do título translativo no Registro de Imóveis.

Enquanto não for realizado o registro da compra o vendedor continuará sendo considerado o dono do imóvel.


E como é que se faz o registro? O comprador deverá procurar o Registro de Imóveis competente e levar os documentos necessários para que seja feito o registro da compra.


4.1 Dos custos para registro

Para que seja feito o registro deverá ser pago às custas do cartório, chamado de emolumentos. São dois valores devidos: os emolumentos para a prenotação e para o registro da compra e venda.


Os emolumentos do cartório são tabelados, assim, basta consultar a tabela para saber quanto custará o respectivo registro.


5. Glossário

a) Escritura de compra e venda de imóvel: ato lavrado pelo tabelião de notas por qual uma das partes vende um imóvel para a outra parte.


b) Registro da compra: ato em que o comprador passa o imóvel para o seu nome.


c) Contrato particular: documento feito entre as partes, sem a presença do tabelião.


Fontes:


BRASIL. Legislativo. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/leis/2002/L10406.htm>. Acesso em: 09 de julho de 2019.


SÃO PAULO. Lei estadual nº 11.331 de 26 de dezembro de 2002. Dispõe sobre os emolumentos relativos aos atos praticados pelos serviços notariais e de registro, em face das disposições da Lei federal nº 10.169, de 29 de dezembro de 2000. Disponível em: <https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/2002/lei%20n.11.331,%20de%2026.12.2002.htm>. Acesso em: 09 de julho de 2019.




 

Escrito por:


* Respondemos mensagens no WhatsApp, e-mail e Instagram em dias úteis durante o horário comercial (das 9h às 17h). Não respondemos dúvidas que são orientações jurídicas ou que dependem da análise do caso sem a contratação de uma consulta.


Outro textos que podem ser do seu interesse:


Comments


Participe da lista VIP

Aprenda sobre seus direito com nosso time de especialistas TOTALMENTE DE GRAÇA!

Seja bem vindo! 
Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

* Respondemos mensagens no WhatsApp em dias úteis durante o horário comercial (das 8h às 18h).

bottom of page